Skip to content Skip to footer

FIIs vs. Imóveis: Vantagens e Desafios

Tempo de Leitura: 7 minutos

Neste artigo, vamos explorar as vantagens de investir nos FIIs e as razões pelas quais alguns investidores ainda preferem investir diretamente em imóveis físicos. Iremos adentrar no universo dos fundos imobiliários, relembrando suas definições, tipos e comportamentos frente ao mercado, abordando temas como estratégias de investimento, análise de riscos e perspectivas futuras.

Mergulhe conosco na essência dos FIIs, explorando suas nuances, tipos e comportamentos no mercado, sob diferentes óticas e cenários econômicos. Continue a leitura para conhecer as oportunidades que o mercado de FIIs tem a oferecer, desmistificando e entendendo mais sobre o universo dos fundos imobiliários em um artigo repleto de insights valiosos. 

Introdução

No mundo dos investimentos imobiliários, a escolha entre fundos imobiliários (FIIs) e o investimento direto em imóveis é, frequentemente, objeto de debate. Ambos os tipos de investimento têm suas vantagens e desafios únicos, e entender as nuances de cada um pode ser fundamental para os investidores.

Para entender as diferenças e vantagens, é essencial entender o que são e como funcionam os FIIs, a fim de avaliar suas diferenças e vantagens em relação ao investimento em imóveis físicos.

O Que São Fundos Imobiliários?

Os fundos imobiliários representam um mecanismo presente no mercado financeiro que facilita o investimento em imóveis. Funcionam como uma espécie de clube, no qual investidores se unem para adquirir cotas e se beneficiam dos resultados de forma coletiva. Essa abordagem democrática permite que seja possível investir em imóveis sem a necessidade de adquiri-los integralmente, possibilitando a compra de frações de um ou vários empreendimentos.

Tipos de Fundos Imobiliários

Os FIIs se dividem em cinco tipos principais: os fundos de tijolos, os fundos de papéis, os fundos de desenvolvimento, os fundos de papéis, os fundos híbridos e os Fundos de Fundos. A seguir, vamos abordar cada tipo de Fundo Imobiliário e suas características.

Fundos de Tijolos

Os fundos de tijolos, o tipo mais comum de FIIs, referem-se a investimentos diretos em imóveis físicos, tais como galpões logísticos, edifícios corporativos, shoppings, hotéis e hospitais. Seu objetivo é reunir recursos para comprar ou construir imóveis para aluguel e o lucro que será distribuído entre os investidores é composto pelo retorno das locações e a valorização do empreendimento.

Fundos de Desenvolvimento

Os fundos de desenvolvimento só investem em projetos imobiliários que ainda estão em fase de construção ou desenvolvimento. Embora sejam mais arriscados, têm um maior potencial de retorno, principalmente se o projeto for bem-sucedido e ganhar valor após sua conclusão.

Fundos de Papéis

Os fundos de papéis estão relacionados a investimentos em títulos financeiros lastreados em empreendimentos imobiliários, tais como os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs).

Fundos Híbridos

Os fundos híbridos, como o próprio nome já diz, combinam características dos fundos de tijolos, dos fundos de desenvolvimento e dos fundos de papéis, diversificando os ativos em sua composição. Essa diversificação oferece aos investidores uma vasta gama de opções, para compor suas carteiras de investimento de acordo com seus perfis e objetivos.

Fundos de Fundos

Os Fundos de Fundos (ou FOFs – Funds of Funds) investem em cotas de outros fundos imobiliários ao invés de comprar títulos ou imóveis diretamente. Isso permite que os investidores adquiram uma única cota de vários ativos. Esses fundos visam minimizar riscos e maximizar ganhos ao diversificar o acesso a métodos lucrativos em termos de risco e retorno. Para atingir esse objetivo, esses FIIs visam unir várias estratégias de investimento relacionadas ao mercado imobiliário em um único instrumento.

Comportamento dos FIIs no Mercado

O comportamento dos FIIs no mercado é influenciado por diversos fatores, sendo a taxa Selic um dos principais. Os fundos de tijolos tendem a se valorizar mais que os outros com a queda da Selic, porque esse fator aquece o mercado imobiliário, estimulando investimentos e valorizando os imóveis. Por outro lado, os fundos de papéis podem apresentar rentabilidade mais alta em períodos de alta da Selic, devido aos rendimentos atrelados a índices como o CDI e IPCA.

Riscos e Rentabilidade

É importante destacar que cada tipo de fundo imobiliário apresenta riscos e características distintas. Os fundos de tijolos tendem a oferecer maior segurança, uma vez que os ativos físicos servem como garantia. Já os fundos de papéis, embora possam oferecer rentabilidades mais atrativas, também estão sujeitos a maior risco e volatilidade, devido à natureza dos títulos financeiros.

É importante tem plena consciência dos riscos envolvidos e alinhar as exspectativas com seu apetite de risco. Consulte seu(a) assessor(a) de investimentos para saber quais são as opções que se adaptam melhor ao seu perfil.

Vantagens dos Fundos Imobiliários (FIIs)

Gestão Profissional e Experiência

Uma das principais vantagens dos FIIs é a oportunidade de investir por meio de gestores experientes e especializados. Ao contrário do investimento direto em imóveis, onde um investidor individual pode enfrentar desafios na gestão e manutenção do ativo, os FIIs oferecem a expertise de profissionais que lidam com questões imobiliárias diariamente. Essa gestão profissional pode resultar em melhores decisões de investimento e uma administração mais eficiente do portfólio imobiliário.

Liquidez e Diversificação

Os FIIs também oferecem maior liquidez em comparação com o investimento direto em imóveis. Enquanto vender um imóvel físico pode demandar muito tempo e esforço, as cotas de um FII podem ser facilmente negociadas no mercado em segundos, proporcionando aos investidores a capacidade de converter seus investimentos em dinheiro rapidamente, se necessário. Além disso, os FIIs oferecem diversificação automática, pois geralmente investem em uma variedade de propriedades, reduzindo o risco associado a um único ativo.

Dividendos Recorrentes e Estabilidade

Outra vantagem significativa dos FIIs é a geração de dividendos mensais, proporcionando aos investidores uma fonte regular de renda. Esses dividendos são, muitas vezes, isentos de imposto de renda para pessoa física, tornando os FIIs uma opção atrativa para aqueles que buscam alternativas de investimento que retornem uma renda passiva regular. Além disso, como os FIIs possuem múltiplos imóveis em seu portfólio, o risco de vacância de um único imóvel é mitigado, garantindo uma certa estabilidade nos pagamentos de aluguel.

Investimento Direto em Imóveis: Visão Contrária

A escolha entre investir em FIIs ou em imóveis físicos depende de uma série de fatores, incluindo objetivos financeiros, tolerância ao risco e preferências pessoais. Enquanto os FIIs oferecem conveniência, liquidez e diversificação, o investimento direto em imóveis pode atrair aqueles que valorizam a posse física de propriedades e buscam maior controle sobre seus investimentos. No entanto, é importante que investidores avaliem cuidadosamente suas opções e considerem como cada tipo de investimento se encaixa em sua estratégia geral de investimento.

Embora os FIIs ofereçam uma série de vantagens, alguns investidores ainda optam por investir diretamente em imóveis. A cultura brasileira, tradicionalmente, valoriza a propriedade física, e muitos consideram a compra de imóveis como um símbolo e, até mesmo, um marco em termos de estabilidade e segurança financeira. Além disso, para aqueles que já possuem uma quantidade significativa de imóveis em seus portfólios, pode não fazer sentido adicionar FIIs, especialmente se os imóveis já geram uma renda estável e são de fácil gestão.

FIIs e Taxas de Juros

Diante do cenário econômico atual, com projeções de queda na taxa Selic e nas taxas de juros, os FIIs apresentam-se como uma opção atrativa não apenas para quem busca dividendos mensais mas, também, para aqueles que vislumbram possíveis valorizações no mercado imobiliário.

Portanto, ao adotar uma abordagem criteriosa e estratégica na alocação de recursos em FIIs, os investidores podem colher os frutos de um investimento sólido, equilibrado e bem fundamentado, contribuindo assim para a construção de uma carteira diversificada e resiliente no longo prazo.

Volatilidade

Ao ingressar no universo dos Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs), é fundamental compreender que esse é um tipo de ativo de renda variável e, portanto, requer um perfil de investidor adequado, capaz de lidar com a volatilidade inerente a esse tipo de ativo.

Para aqueles que são extremamente conservadores com seus recursos alocados ou que se preocupam com cada variação diária nos investimentos e não toleram volatilidade, os FIIs podem não ser a melhor opção. No entanto, para aqueles que já têm algum nível de conforto com a oscilação do mercado a curto prazo e buscam diversificar sua carteira e garantir bons retornos no longo prazo, os FIIs podem ser uma excelente escolha.

Percentual de Alocação

Ao considerar a alocação de seus recursos em FIIs, é crucial entender seu perfil de investidor e crucial começar com percentuais pequenos, especialmente se você é iniciante nesse tipo de investimento. Nunca comprometa uma parte significativa do seu capital em um único tipo de ativo, especialmente os de renda variável, a ponto de causar desconforto financeiro em caso de variações bruscas no valor dos ativos.

O percentual recomendado para investir em FIIs pode variar de acordo com o perfil de cada investidor. Para aqueles que têm um perfil mais conservador, é aconselhável destinar uma parcela menor de seus recursos para FIIs, talvez entre 5% e 10% do total do patrimônio investido. Essa alocação mais modesta ajuda a mitigar os riscos associados à volatilidade do mercado imobiliário.

Por outro lado, investidores com perfil mais arrojado ou agressivo podem optar por destinar uma parcela maior de seu capital para FIIs, talvez entre 15% e 20%. No entanto, mesmo para esses perfis mais arrojados, é importante manter uma diversificação adequada da carteira, não concentrando todo o investimento em um único tipo de ativo.

Essa abordagem cautelosa é respaldada pela busca pela diversificação e pela mitigação de riscos. Ao limitar a exposição a FIIs a uma porcentagem do patrimônio total, investidores podem equilibrar os potenciais retornos com a proteção contra volatilidades do mercado.

Maximizando Investimentos em FIIs

Na jornada no mundo dos investimentos, muitos se deparam com uma enorme diversidade de produtos disponíveis no mercado financeiro, o que costuma causar certo espanto e perplexidade. Entre elas, os Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs) têm se destacado como uma alternativa sólida e rentável para quem busca diversificar sua carteira de investimentos. Como de costume, a chave para o sucesso nesse campo está em uma estratégia de diversificação responsável e na diligência dos profissionais e empresas envolvidos nos processos decisórios, mas algumas questões devem ser consideradas.

Estratégias de Diversificação

Uma das premissas fundamentais para o sucesso nos investimentos em FIIs é a diversificação eficaz. Conforme enfatizado anteriormente, é essencial manter uma carteira diversificada, com um número significativo de ativos e gestoras. Aqui na Krone, por exemplo, mantemos uma carteira com 17 ativos de mais de 7 gestoras diferentes.

Ao evitar concentrar grandes proporções do capital em um único ativo ou em poucas gestoras, é possível reduzir o risco de perdas significativas em caso de eventos adversos específicos a determinados setores ou empresas.

Estratégias de Reinvestimento

Outro aspecto importante é a importância de reinvestir os dividendos gerados pelos FIIs. Essa prática permite que investidores aproveitem o efeito dos juros compostos, aumentando o potencial de retorno ao longo do tempo. Ao reinvestir os dividendos mensais, investidores podem acelerar o crescimento de seu patrimônio, maximizando assim a rentabilidade de seus investimentos em FIIs.

Conclusão

Os Fundos de Investimento Imobiliário representam uma oportunidade promissora para investidores que buscam diversificar suas carteiras e obter retornos consistentes no mercado financeiro. Ao seguir uma abordagem cuidadosa, focada na diversificação, no reinvestimento de dividendos e na diligência na seleção de ativos, investidores podem maximizar o potencial de seus investimentos em FIIs, aproveitando as oportunidades oferecidas pelo mercado imobiliário.

Antes de iniciar seus investimentos em FIIs, é fundamental realizar uma análise cuidadosa de seu perfil de investidor, seus objetivos financeiros e sua tolerância ao risco. Além disso, é recomendável buscar a orientação de profissionais qualificados, que possam auxiliar na seleção dos melhores fundos, de acordo com suas necessidades e expectativas.

Soluções sob medida para seus investimentos e muito mais.

Endereço

Al. dos Maracatins, 1.217 – Cj. 415
CEP 04089-014 – Moema
São Paulo/SP

Redes Sociais
© 2024 Krone Capital | Todos os direitos reservados.
A Krone Capital Agentes Autônomos de Investimentos LTDA. é uma sociedade de Agentes Autônomos de Investimento. Toda distribuição de valores mobiliários através da Krone Capital AAI é executada pela XP Investimentos CCTVM S/A, instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil, com exceção da atividade de distribuição de cotas de fundos de investimento, a qual também pode ser realizada por meio do BNY Mellon Serviços Financeiros DTVM S.A. A Krone Capital AAI atua apenas como distribuidora de ativos mobiliários e não participa da gestão e ou administração de nenhum dos produtos aqui divulgados, incluindo fundos de investimento ou ativos renda fixa e renda variável. A Krone Capital Agente Autônomo de Investimentos Ltda é uma empresa de agentes autônomos de investimento devidamente registrada na Comissão de Valores Mobiliários na forma da Resolução CVMnº 16/2021. A Krone Capital Investimentos Agente Autônomo de Investimentos Ltda. atua no mercado financeiro credenciada à XP Investimentos CCTVM S/A, o que pode ser verificado através do site da CVM ou através do site da ANCORD. Na forma da legislação da CVM, o Agente Autônomo de Investimento não pode administrar ou gerir o patrimônio de investidores. O Agente Autônomo é um intermediário e depende da autorização prévia do cliente para realizar operações no mercado financeiro. O investimento em ações é um investimento de risco e rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. Na realização de operações com derivativos existe a possibilidade de perdas superiores aos valores investidos, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Para informações e dúvidas, favor contatar seu Agente Autônomo de Investimentos. Para reclamações, favor contatar a Ouvidoria da XP Investimentos no telefone 0800 722 3730.

Desenvolvido por The Branding Tailors